quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

"Benjamin Bossi e a essência da Doutrina do Sigma"

Uma das grandes dificuldades de estudar a história do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) é encontrar informações sobre os personagens que fizeram parte da sua trajetória, resgatando assim a memória e trazendo novos dados para o estudo do tema. 

Dentre as diversas figuras que fizeram parte da legenda, encontra-se o veterano fluminense da Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937) Benjamin Bossi, pertencente ao Núcleo Integralista de Petrópolis - RJ. Conhecido entre seus pares pela sua poesia, participou não só ativamente do movimento, como também produziu diversas poesias inspiradas na doutrina Integralista, demonstrando o que, segundo Plínio Salgado, seria a “essência da Doutrina do Sigma”. Esta produção literária, em parte inédita, é pouco conhecida atualmente pelos estudiosos do tema, tendo seu nome não sido incluído na Coletânea de Poetas Integralistas, livro produzido pela editora Clássica Brasileira, nos anos 50, uma omissão irreparável. 

Durante sua vida, Benjamin trabalhou como revisor na gráfica da famosa Editora Vozes, localizada em Petrópolis - RJ, além de ter sido, num curto período de tempo, Presidente da Legião 11 de maio, entidade criada durante o Estado Novo (1937-1945) para homenagear os Mártires Integralistas que tombaram durante a invasão ao Palácio da Guanabara. Dois integrantes desta entidade, Antônio Brêtas e Manoel de Paula Lopes, foram protagonistas de um fato inusitado, em 1938; os  militantes entram escondendo sob o paletó, no Cemitério São Francisco Xavier - RJ, uma placa de mármore, com os nomes dos Mártires Integralistas, fixando-a no local aonde  repousavam as cinzas dos militantes, permanecendo até os dias de hoje esta homenagem.  Atualmente também se encontra presente o monumento, inaugurado em 11 de maio de 1974, erigido pelo Instituto Carioca de Estudos Brasileiros – ICEB, organização Integralista, então presidida pelo Integralista General Jayme Ferreira da Silva, entidade co-responsável pela conservação do Mausoléu.

Acima imagem do recibo de contribuição, realizada no dia 11 de maio de 1989, da militante Adriana Honório da Silva para conservação do Mausoléu Integralista. 

Uma curiosidade pouco conhecida sobre a inauguração deste monumento foi a ausência do líder Integralista Plínio Salgado, porém sua impossibilidade de comparecer fez com que enviasse uma mensagem, inédita na Internet, publicada no jornal Renovação Nacional e lida pelo veterano da AIB e editor do Jornal supracitado Jáder Araujo de Medeiros, na qual transcrevo abaixo: “A maior homenagem, entretanto, que prestamos a nossos mortos é a de prosseguirmos na difusão de nossa Doutrina, acima das competições políticas, convencidos de que a Filosofia Integralista constitui a salvação dos povos e a garantia da sobrevivência do nosso querido Brasil. Assim procedendo, seremos dignos e teremos o direito de erguer o braço diante deste Mausoléu, bradando com a mesma fé de ontem e a mesma fé de hoje e de amanha: Anauê! Anauê! Anauê!”

Abaixo imagem dos poemas intitulados Hino do Sigma e Mãe, ambos de autoria de Benjamin Bossi. 



terça-feira, 27 de dezembro de 2011

"Boas Festas"


Prezados leitores e colaboradores,

Gostaria de agradecer a todos os leitores, os amigos e aos parceiros do blog, que ajudaram na realização de um antigo sonho, colocado efetivamente em pratica este ano, e desejar um FELIZ NATAL e um ano novo repleto de saúde, paz e sucesso em suas vidas pessoais e profissionais.

Abraços,
Guilherme Jorge Figueira

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

"Pelo Bem do Brasil, Plínio Salgado Presidente da República"

Trago aos leitores do blog o vistoso diploma oferecido pelo comitê de campanha pró-salgado aos simpatizantes e militantes do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), que contribuíram financeiramente para a campanha Presidencial de 1955. Este diploma, colorido em formato A3, traz em seu centro desenho, de autoria desconhecida, do busto de Plínio Salgado emoldurado, acompanhado do mapa do Brasil e do bordão Integralista Pelo Bem do Brasil

Este diploma além de ter como característica ser um recibo para os contribuintes, também serviu como suvenir aos militantes, segundo alguns veteranos do partido, estes artigos eram encontrados facilmente nas casas dos Populistas, estando emoldurados em suas casas, em área de destaque, para que todos os visitantes pudessem ver que o morador contribuiu financeiramente para campanha, sendo este, portanto um entusiasta Populista. 

Certamente este artigo foi um dos artisticamente mais bem trabalhados oferecidos durante a campanha, por ser colorido, ter a imagem do líder Integralista e por levar o nome do contribuinte. Era um artigo cobiçado por muitos simpatizantes da legenda, se diferenciando de outros objetos oferecidos como lápis e caixa de fósforos de carater simplorio.

 Abaixo transcrevo o texto do diploma intitulado Pelo Bem do Brasil:

“O Sr. XXX,  Contribuiu para a Campanha Financeira de apoio a candidatura de Plínio Salgado a Presidência da República, no ano de 1955, com a quantia de Cr$ XXX, pelo que foi inserido na doação de milhares de idealistas que lutam pela salvação da nossa Pátria. Presidente do Comitê XXX, de finanças pro-candidatura de Plínio Salgado, visto: XXX , ano 1955”.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

“Para Presidente da República, Plínio Salgado”

Já mostrei aqui no blog alguns cartazes da propaganda Presidencial de Plínio Salgado, para Presidência da República, nos anos 50. Trago hoje um raro cartaz com a imagem de Salgado, produzido durante a campanha Populista. Este cartaz foi amplamente divulgado pelos seus correligionários em diversos Estados da federação, porem encontrá-lo atualmente e uma tarefa praticamente impossível, graças a qualidade ruim do papel impresso.

O cartaz, em formato A3, diferente de outros do período, traz algumas particularidades como a frase ufanista: “Nas trevas da confusão, a luz de uma esperança!”, além desta característica a figura de Plínio Salgado, olhando para o futuro, demonstra a imagem solene e sonhadora do candidato, que busca ser a esperança de um povo, conforme a frase indica.  
Portanto, Um cartaz tem como objetivo informar, instruir e persuadir o leitor, sobre determinado assunto, pode-se afirmar que a referida propaganda tentou alcançar este objetivo, procurando fotografar Salgado de uma forma que pudesse passar sua mensagem e se utilizando do slogan para reforçar esta presença.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Parte II: “O Jubileu de Prata Integralista”

Hoje venho esclarecer duvidas de alguns leitores referentes ao post “O Jubileu de Prata Integralistas” vinculado no dia 27 de outubro de 2011. Segundo os e-mails recebidos não fui muito claro quando me referi que os Diretórios Municipais e Estaduais do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) enalteciam o passado Integralista, realizando cerimônias costumeiras no calendário Integralista dos anos 30, como “As Matinas de Abril” e “A Noite dos Tambores Silenciosos”.

A fim de esclarecer o assunto é importante ressaltar que foi a partir das celebrações dos 25 anos do Integralismo, em 1957, que estas manifestações, realizadas em logradouros públicos, passaram a ser comuns, chamando inclusive a atenção da opinião publica, sendo amplamente divulgada em diferentes jornais da época, e enaltecida pelos jornais e revistas Populistas.


Mesmo que a adesão dos correligionários e simpatizantes não tenha sido o esperado pela cupula do  PRP, conforme demonstra acima o registro fotográfico da manifestação, realizada na cidade de São Paulo, no mês de abril de 1958, presente no Arquivo Publico de Rio Claro – SP, o evento obteve o objetivo principal de demonstrar que o Integralismo se encontrava presente no cenário Nacional, sendo representado por uma legenda partidária o qual todos os brasileiros poderiam depositar seus votos.  

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

"Revista de História da Biblioteca Nacional debate mitos e verdades de Jânio e Jango"


Hoje venho divulgar aos leitores do blog Populista uma das ultimas oportunidades do ano para os interessados participarem do debate sobre Jânio Quadros e João Goulart, personagens estes que se entrelaçam na história do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965).
Segue abaixo texto sobre o evento que ocorrerá no dia 29 de novembro, terça-feira, às 16:00 horas, na Biblioteca Nacional, com a participação dos professores e historiadores Lucilia de Almeida Neves Delgado e Jorge Ferreira.
-----------
Um dos momentos mais críticos de nossa história contemporânea, o golpe de 1964 ainda guarda detalhes desconhecidos para a maior parte da população. Aspectos como a obscura renúncia de Jânio Quadros e o turbulento governo de João Goulart são pouco valorizados em estudos e pesquisas. Para trazer luz ao assunto, a Revista de História da Biblioteca Nacional (RHBN) realiza no próximo dia 29 de novembro, terça-feira, às 16h, debate do tema “Jânio e Jango: a renúncia, o golpe e os mitos”, com a participação dos professores e historiadores Lucilia de Almeida Neves Delgado e Jorge Ferreira, autor de recente e bem sucedida biografia de Jango, fruto de dez anos de pesquisa e que mostra uma face pouco conhecida do ex-presidente.

O evento integra a programação da série de debates Biblioteca Fazendo História, que acontece todo mês no auditório Machado de Assis da Biblioteca Nacional. A entrada é gratuita, sem necessidade de inscrição prévia. A presença no evento dá direito a certificado de participação, que pode ser utilizado por alunos e professores como horas de atividades complementares. O debate também pode ser acompanhado em tempo real pelo site www.institutoembratel.org.br e pelo twitter da revista (@rhbn).

Os palestrantes: Lucilia de Almeida Neves Delgado é professora da Universidade de Brasília (UnB) e coautora da coleção “O Brasil Republicano”. Na edição de novembro da RHBN publicou artigo Jânio Quadros e seu meteórico governo. Jorge Ferreira é professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e autor de “João Goulart: uma biografia”, livro fruto de dez anos de pesquisa e que mostra uma face pouco conhecida do ex-presidente.

O evento: Biblioteca Fazendo História é uma série de debates mensal realizada pela Revista de História da Biblioteca Nacional, cujo objetivo é discutir temas relevantes da História do Brasil abordados em cada edição da revista.

A revista: Lançada em 2005, a Revista de História da Biblioteca Nacional é a única em seu segmento editorial especializada em História do Brasil e traz a cada mês reportagens e artigos assinados por importantes historiadores e sociólogos. A publicação é mensal e distribuída em bancas de todo o país. Seu conselho editorial é formado por Alberto da Costa e Silva, Caio César Boschi, João José Reis, José Murilo de Carvalho, Laura de Mello e Souza, Lilia Schwarcz, Luciano Figueiredo, Marcos Sá Corrêa, Marieta de Moraes Ferreira, Ricardo Benzaquen e Ronaldo Vainfas.

Serviço: Biblioteca Fazendo História. Auditório Machado de Assis, Fundação Biblioteca Nacional (Rua México s/nº, Centro, Rio de Janeiro). Dia 29 de novembro, às 16h. Informações: (21) 2220-4300, ramal 215. Inscrições no próprio local. Entrada franca, com direito a certificado de participação.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Parte II: “Interpretando Plínio Salgado através das caricaturas”

Conforme prometido nas ultimas postagens trago aos leitores do blog Populista charge vinculada na revista semanal Manchete, publicada no dia 01 de Outubro de 1955, que traz em seu interior extensa reportagens sobre os candidatos à Presidente da República, no período descrito acima.

Diferente de outras charges publicadas no periódico, esta não associa o candidato do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), Plínio Salgado, ao Nazismo, ao contrario, a única associação que o desenho faz é com a doutrina Integralista, idealizada por Salgado, nos anos 30. Nota-se ainda que o artista Baiano Djalma Pires Ferreira além de enfatizar as afeiçoes do candidato, buscou de forma sutil ordenar personagens, tentando assim prever o desempenho nas urnas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"A Proclamação da República Brasileira, interpretada por Plínio Salgado"

Aproveito a véspera do feriado da Proclamação da República no Brasil para trazer aos leitores do blog Populista um artigo pouco conhecido de Plínio Salgado, publicado no Jornal Diário de São Paulo, no dia 10 de novembro de 1974. 

Este interessante trabalho busca em alguns parágrafos trazer os motivos pelos quais foi realizado o evento histórico, abordando fatos e personagens do período interpretados pelo autor do artigo, e importante ressaltar que este e um dos últimos, se não o último trabalho de Salgado, sobre a Proclamação da República Brasileira, portanto possui grande valor para os pesquisadores sobre a vida e a obra de Plínio Salgado.
Acima artigo publicado no Diário de São Paulo, em 10 de novembro de 1974, pelo então Deputado Federal, pela ARENA-SP, Plínio Salgado, em sua coluna semanal no jornal paulista.  

terça-feira, 8 de novembro de 2011

“Plínio Salgado, interpretado em concurso de desenho Populista”

Recentemente recebi por e-mail uma interessante ilustração, presente no acervo do Arquivo Publico de Rio Claro – SP,  da campanha presidencial de Plínio Salgado, em 1955. Infelizmente a autoria e data de criação deste cartaz, em tamanho A4, é incerta, porém provavelmente sua criação teve origem no concurso de ilustrações promovido pelo Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), durante a campanha presidencial, que possuía intenção de arregimentar toda a família Populista no pleito eleitoral.

Nota-se na imagem elementos da extinta Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937), mesclados com o da legenda Populista, o bordão “Este é o homem”, presente em inúmeras propagandas da campanha presidencial de Salgado, está inserido, com uma frase abaixo pouco utilizada pelo partido. É importante ressaltar a camisa-verde utilizada pelo candidato na imagem relembrando o fardamento Integralista, abandonado nos primórdios do PRP. Os leitores que tiverem maiores informações sobre esta imagem não deixem de entrar em contato para que assim possamos resgatar juntos a historia do Partido de Representação Popular.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

"O Jubileu de Prata Integralista"

O Jubileu de Prata Integralista, realizado em 1957, celebrou os 25 anos de criação do Integralismo, reincorporando ao Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), diversos símbolos, rituais e adereços antes utilizados pela Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937). Entre os diversos símbolos estavam o Sigma (Σ) e a camisa-verde Integralista.

Os festejos dos 25 anos do Integralismo tinham a finalidade de realizar uma releitura da história do movimento, respondendo acusações da imprensa, promovendo eventos por todo o Brasil, e fomentando a venda de diversos tipos de suvenires com os símbolos da ritualística ora esquecida, e importante ressaltar que esta venda possuía a finalidade de tornar o Integralismo novamente presente no cotidiano do militante Populista e dos Centros Culturais da Juventude, os águias brancas.

Este trabalho não ficou apenas restrito ao Diretório Nacional do Partido, os Diretórios Municipais e Estaduais também iriam realizar atividades próprias que enalteciam o passado Integralista, como as cerimônias “As Matinas de Abril e “A Noite dos Tambores Silenciosos”.

Uma fotografia interessante deste período se encontra no Arquivo Público de Rio Claro – SP, nesta imagem se encontra-se a placa do Partido de Representação Popular – Diretório Regional - com o Sigma em destaque, nota-se que no período do Estado Novo (1937-1945), o sinal matemático foi proibido em todo o Brasil, sendo inclusive excluído das aulas de cálculo, e mesmo até antes do Jubileu de Prata renegado ao passado.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

"Revista da Biblioteca Nacional traz cédula eleitoral dos anos 50 com o nome Plínio Salgado candidato á Presidência da República”

A edição de n°73 de outubro de 2011 da Revista de História da Biblioteca Nacional traz aos leitores interessante reportagem de autoria dos professores Wellington de Oliveira, Márcia Botelho e Maria Tereza Pires, intitulada “Oficina Eleitoral”, na qual aborda uma iniciativa pioneira da escola Estadual Professor Gabriel Mandacaru, Diamantina – MG, que tem como principal objetivo tornar a política atraente aos jovens brasileiros.
Durante a reportagem algumas imagens que ilustram a matéria chamam a atenção por suas peculiaridades, principalmente a propaganda eleitoral de Juscelino Kubitschek e João Goular, por trazere acima de seus cartazes imagem de propaganda do Presidente Nacional do Partido de Representação Popular - PRP (1945-1965), Plínio Salgado, à Presidência da República, nos anos 50, com o bordão "Está na hora de mudar", como também a imagem do primeiro titulo de eleitor, no qual se encontram entre outros nomes o de Salgado.

Os interessados em adquirir a revista poderão encontrá-la em qualquer banca de jornal pelo Brasil ou solicitar seu exemplar pela Internet, através do site: www.revistadehistoria.com.br. Abaixo capa da matéria que motiviou a postagem no blog Populista.

Obs.: Atendendo aos inúmeros e-mails enviados por pesquisadores e curiosos interessados em  novas caricaturas de Plínio Salgado, informo que nos próximos dias estarei postando outras imagens vinculadas na revista Manchete sobre o tema.


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

"Uma Fotografia Histórica, Plínio Salgado, Presidente do Partido de Representação Popular"

Durante a ausência de Plínio Salgado do Brasil, auto-exilado em Portugal, os Integralistas e simpatizantes do movimento seguindo ordens do seu representante no Brasil, Raymundo Padilha, irão se aproveitar da fragilidade e posteriormente fim do Estado Novo (1937-1945) para organizar uma legenda partidária capaz de indicar candidatos para as próximas eleições, esta legenda foi intitulada com o nome de Partido e Representação Popular – PRP (1945-1965).

Em seu primeiro ano de existência a agremiação não possui formalmente em seu quadro seu principal líder Plínio Salgado, este ainda auto-exilado em Portugal, está situação só foi sanada em 1946, após o regresso do líder Integralista ao Brasil, que logo em seguida, no dia 28 de outubro de 1946, durante evento solene no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, foi empossado Presidente Nacional do Partido de Representação Popular.  

Na imagem acima a Revista Avante! , n°02 de fevereiro e abril de 1950, traz na página 26 importante registro histórico desta solenidade, notam-se na imagem figuras importantes do movimento Integralista, entre elas, Mayrink, Raymundo Padilha, Loureiro Junior, João Carlos Fairbanks e Goffredo da Silva Telles Junior.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

“Livros e dedicatórias a Plínio Salgado”

As dedicatórias cumprem a tarefa de ser um registro histórico informal sobre um personagem, relegadas muitas vezes ao esquecimento são uma interessante fonte de informação para se compreender o relacionamento entre amigos e familiares, por transcender a morte dos seus criadores e se tornarem um único personagem, casados para sempre.

Os livros pertencentes à biblioteca de Plínio Salgado, em sua grande maioria, continham dedicatórias entusiasmadas pelos seus amigos e simpatizantes, que presenteavam o Presidente do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) com os mais diferentes títulos, formando assim um acervo diversificado e com dedicatórias inusitadas, que compunham suas bibliotecas em seu gabinete e residência.
Uma dessas inúmeras dedicatórias pode ser encontrada no livro Roteiro Turístico da Cidade do Salvador, de autoria de Luiz M. Monteiro da Costa, publicado em 1952, o livro traz algumas palavras dedicadas a Salgado, se não vejamos:  Ilustre Chefe Plínio Salgado, Almejo que este Roteiro Turístico da Cidade do Salvador, venha enriquecer a vossa magnífica biblioteca em assuntos ligados ao Brasil, este grandioso País que vós nos ensinastes a amar. Anauê pelo Brasil , Lulmiro de Oliveira, 07/06/52”.
Através desta dedicatória podemos analisar que seu autor pertenceu aos quadros da Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937), permanecendo admirador do Chefe da AIB após seu fechamento, nota-se que o Integralismo teve forte presença e conseqüentemente perseguição no Estado da Bahia, por esse motivo foi um dos Estados mais visitados por Plínio Salgado durante as eleições presidenciais de 1955, na tentativa de buscar os votos dos seus simpatizantes que na década de 30 pertenceram ao Integralismo.

sábado, 1 de outubro de 2011

"Interpretando Plínio Salgado através das caricaturas"

A caricatura é a arte de interpretar a política de forma cômica, apresentando ao publico, com poucos traços, características e aspectos dos principais personagens da política nacional. Estas interpretações são comuns nos jornais e revistas pela sua mensagem simples e de fácil compreensão, transitando assim em ordem distinta com o texto escrito e em muitas vezes desacompanhada de legenda. Desta forma esta linguagem foi intensamente utilizada pelos críticos do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) na imprensa brasileira.

Uma boa caricatura tem como principio adaptar aspectos da personalidade com o fato retratado, neste caso pode-se afirmar que a imprensa em geral se utilizou de forma inteligente deste meio de comunicação para retratar o Presidente Nacional do Partido de Representação Popular Plínio Salgado ao seu modo. Em diversos jornais e revistas do período se encontram caricaturas sátiras de Salgado, dentre elas, principalmente a revista Manchete, que não poupou criticas à legenda e seus integrantes, fazendo acusações ou simplesmente ironizando a figura de Plínio Salgado.
Um bom exemplo desta linguagem é a caricatura acima de autoria do artista carioca Antonio Nassara publicada na revista Manchete, de 01 de outubro de 1955, nela consta a interpretação cômica de Plínio Salgado no momento em que votou nas eleições presidenciais de 1955, nota-se que além de desenhar o Sigma (símbolo Integralista) de forma invertida na cédula, mostrando uma certa confusão mental, o artista retrata o personagem estendendo a mão, fazendo assim a saudação Integralista com um semblante triste, prevendo sua provavel derrota nas urnas. 

O Partido de Representação Popular – PRP também utilizou desta arma com fins informativos e publicitários para vincular suas interpretações sobre o cenário brasileiro. Tendo um papel didático as caricaturas produzidas pelo PRP, em seus principais periódicos, iriam ajudar o leitor a entender as propostas da legenda funcionando como contrapropaganda da mídia em geral. Nas próximas postagens estarei tratando sobre este tema trazendo aos leitores algumas destas inusitadas caricaturas.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

"Bibliotecas Populistas pelo Brasil"

As Bibliotecas presentes nas sedes Municipais e Estaduais do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) tinham como objetivo preservar e disponibilizar material bibliográfico aos doutrinadores e estudiosos que pertenciam aos quadros do partido.  Estes acervos eram de responsabilidade do Diretório Nacional, que previamente deveria autorizar a presença dos títulos nas estantes das bibliotecas populistas pelo Brasil.

O Diretório Nacional do PRP na tentativa de popularizar os títulos recomendados para as Bibliotecas Municipais e Estaduais do partido irá divulgar sua lista de sugestões de livros nos principais periódicos do Partido de Representação Popular, dentre eles, A Marcha, Idade Nova e Monitor Populista. Muitos destes títulos são curiosos por trazer obras de doutrinadores estrangeiros, que possuíam em comum o combate ao Comunismo, dentre eles Leão Ramos, Antônio Sardinha e Oliveira Salazar.  


Acima imagem parcial do Jornal Monitor Populista, publicado no dia 30 de maio de 1951, ano I, n°3, página 11, no qual traz a recomendação aos Diretórios Municipais sobre os principais livros que deveriam estar em suas Bibliotecas.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

"As Bandeiras Populistas"

Existem muitas formas de divulgar idéias e campanhas políticas, o Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) resgatou diversas práticas comuns na Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937) para divulgar suas propostas e ideologias, um dos exemplos deste resgate foi o constante uso das denominadas “bandeiras Integralistas”, rebatizada com o nome de “bandeiras Populistas”.

As “bandeiras Integralistas” tiveram inicio em 1933 com a proposta de intensificar a propaganda e organização da Acção Integralista Brasileira - AIB, eram realizadas através de comitivas do Norte ao Sul do Brasil, lideradas por personalidades Integralistas vestidas com suas camisas-verdes, entre elas Eurípedes Cardoso de Meneses, Olbiano de Melo, Ovídio da Cunha, Loureiro Junior, Gustavo Barroso, Miguel Reale, Plínio Salgado, entre outros; que realizavam palestras doutrinárias ao chegarem às localidades. Estas atividades obtiveram sucesso na expansão da AIB, tendo influência de forma expressiva na abertura de Núcleos Integralistas pelo Brasil.

Com a utilização dos mesmos métodos as “bandeiras Populistas” percorreram pelo Brasil levando as idéias da legenda, fundando Diretórios Estaduais e Municipais pelos seus representantes, obtendo expressivo sucesso. Muitas destas atividades foram noticiadas nos periódicos do Partido, entre eles A Marcha, Idade Nova e A Trincheira.
Acima imagem da reportagem datada do dia 30 de novembro de 1949, intitulada "Uma bandeira Populista visitou a Cidade de Touros", publicada no jornal A Trincheira, página 04, Ano I. Nesta matéria pode-se visualizar o sucesso da "bandeira" que percorreu a Cidade de Touros - RN, fundando o Diretório Municipal do PRP, sendo presidido pelo Sr. Avelino André da Silva.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"Os Populistas e os trabalhadores rurais"

No inicio de 1945, após o fim do Estado Novo (1937-1945), os Integralistas começaram a se organizar em diversas entidades sociais e políticas, as legendas que mais se destacaram neste processo foram as do Partido de Representação Popular – PRP e os Centros Culturais da Juventude – CCJ, tendo sido tema, atualmente, de diversos estudos acadêmicos.  

Infelizmente pouco se sabe sobre os outros grupos sócio-políticos que os Integralistas fundaram após 1945, algumas inclusive tiveram algum sucesso, penetrando de forma contundente nas camadas populares brasileiras, alguns exemplos desta atuação são a União Operaria e Camponesa do Brasil – UOCB, voltada para a arregimentação de trabalhadores rurais e a Ação Patriótica das Mulheres Brasileira, entidade destinada a trazer a mulher para a participação política.
Acima imagem da convocação da União Operaria e Camponesa do Brasil – UOCB, divulgado no jornal partidário A Marcha (1953-1965), página 04, ano VIII, n°433. Durante a existência do periódico diversos convites e resoluções da UOCB serão divulgadas, diferentes das outras entidades que pouco estiveram presentes no semanário, demonstrando assim sua pouca penetração.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

"Livro: Entre tipos e recortes: histórias da imprensa integralista"

Hoje desvio um pouco do assunto e apresento aos leitores do blog Populista o livro lançando recentemente no Brasil durante o XXVI Simpósio Nacional de História (ANPUH), realizado mês de julho, sobre a história da imprensa Integralista, denominado “Entre tipos e recortes: história da imprensa integralista”.

Coordenado pelos pesquisadores Leandro Pereira Gonçalves e Renata Duarte Simões, o livro traz ao todo 16 artigos escritos por diferentes professores e pesquisadores, trazendo uma nova interpretação do movimento Integralista brasileiro. Entre os trabalhos publicados destacam-se os textos que abordam o período de existência do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965). Estes artigos se tornam referencia para os pesquisadores que se debruçam sobre o tema, pela sua riqueza de detalhes, tendo sido elaborados através de acessos ao fundo de Documentação AIB/PRP, localizado atualmente na PUCRS. 


O lançamento internacional do livro esta previsto para o mês de setembro durante o Colóquio “Os extremismos Políticos de Direita: Entre a Tradição e a Renovação”. Os interessados em adquirir a obra deverão entrar em contato com a pesquisadora Renata Simões, pelo e-mail: renasimoes@hotmail.com.

Nas próximas postagens trarei aos leitores uma analise critica sobre os textos que abordam a história do Partido de Representação Popular – PRP.

domingo, 11 de setembro de 2011

Colóquio “Os Extremismos Políticos de Direita: Entre a Tradição e a Renovação”

O Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa – ICS-UL, no dia 29 e 30 de setembro de 2011 irá apresentar o Colóquio “Os Extremismos Políticos de Direita: Entre a Tradição e a Renovação”, organizado pelos pesquisadores Riccardo Marchi,  Fabio Chang de Almeida e Leandro Pereira Gonçalves.

Para os freqüentadores do Blog História do Partido de Representação Popular destacam-se as apresentações que buscam trazer uma nova interpretação ao estudo do Integralismo, após 1937, como as que serão apresentadas pelos pesquisadores Gilberto Grassi Calil (Plínio Salgado e a reinterpretação da doutrina integralista no contexto da derrota nazi-fascista) e Leandro Pereira Gonçalves (Os integralismos como uma forma de conhecimento da relação luso-brasileira no ambiente do conservadorismo).

Em nome do Blog parabenizo os pesquisadores Leandro Pereira Gonçalves, Fábio Chang e Riccardo Marchi pela organização do Colóquio como também pelo lançamento do livro “Entre tipos e recordes: histórias da imprensa Integralista”, que traz uma série de artigos de diferentes pesquisadores sobre o mesmo tema, dessa forma proporcionando ao leitor diferentes tipos de interpretação sobre um determinado fato histórico.  Abaixo o programa  do Colóquio “Os Extremismos Políticos de Direita: Entre a Tradição e a Renovação”.

Colóquio
OS EXTREMISMOS POLÍTICOS DE DIREITA: ENTRE A TRADIÇÃO E A RENOVAÇÃO 
29 e 30 de Setembro de 2011
Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa – ICS-UL
Sala 3
 Organizadores:
Riccardo Marchi (ICS/UL)
Fábio Chang de Almeida (UFRGS/ICS-UL)
Leandro Pereira Gonçalves (PUC-SP/ICS-UL)

29 DE SETEMBRO
9h30 -  ABERTURA – António Costa Pinto (ICS-UL)
SEÇÃO 1 – Extrema-direita: Europa-América [9h45 – 12h00]
Coordenação: Fábio Chang de Almeida (UFRGS / ICS-UL)

9h45 – Gilberto Grassi Calil (UNIOESTE / FLUP)
Plínio Salgado e a reinterpretação da doutrina integralista no contexto da derrota nazi-fascista
10h15 – Odilon Caldeira Neto (UEM) (via Skype)
Neointegralismo, direita brasileira pós 1988 e a questão partidária
10h45 – Intervalo
11h00 – Pietro Tessadori (ICS-UL)
África nos regimes fascista italiano e autoritário português
11h30 – Discussão
12h00 – Encerramento

12h00 – 14h00 – Almoço
SEÇÃO 2 – Os integralismos em Portugal e no Brasil [14h00 – 16h15]
Coordenação: Riccardo Marchi (ICS-UL)

14h00 – Paulo Archer (CEIS20-UC)
Integralismo Lusitano: tradição, conservantismo, antirrepublicanismo
14h30 – Nuno Simão Ferreira (FLUL)
O protagonismo de Alberto de Monsaraz na história do Integralismo Lusitano
15h00 – Coffee Break
15h15 – Leandro Pereira Gonçalves (PUC-SP / ICS-UL)
Os integralismos como uma forma de conhecimento da relação luso-brasileira no ambiente do conservadorismo
15h45 – Discussão
16h15 – Coffee Break

LANÇAMENTO DE LIVRO [16h30 – 17h00]

GONÇALVES, Leandro Pereira; SIMÕES, Renata Duarte (orgs.). Entre tipos e recortes: histórias da imprensa integralista. Guaíba-RS-Brasil: Sob Medida, 2011.
Debate e apresentação: Leandro Pereira Gonçalves, Giselda Brito Silva e Gilberto Grassi Calil

30 DE SETEMBRO
SEÇÃO 3 – A “nova” extrema-direita [9h00 – 10h30]
Coordenação: Leandro Pereira Gonçalves (PUC-SP / ICS-UL)

9h00 – Riccardo Marchi (ICS-UL)
A direita radical portuguesa na transição para a democracia
9h20 – Fábio Chang de Almeida (UFRGS / ICS-UL)
A “nova” extrema-direita em Portugal e na Argentina
9h40 – José Pedro Zúquete (ICS-UL)
Novos tempos, novos ventos: a extrema-direita europeia e o Islão
10h00 – Discussão
10h30 – Coffee Break 

CONFERÊNCIA
[11h00 – 12h30]
Martin Conway (University of Oxford – Faculty of History)
Catolicismo e corporativismo na Europa dos anos 30 
12h30 – 14h30 – Almoço

SEÇÃO 4 – Catolicismo e Autoritarismo [14h30 – 17h15]
Coordenação: Goffredo Adinolfi (ISCTE-IUL)

14h30 – Duncan Simpson (King’s College London)
O catolicismo português e o autoritarismo salazarista
15h00 – Maria Inácia Rezola (IHC-UNL)
Estado e Igreja nas origens do Salazarismo
15h30 – Intervalo
 15h45 – Giselda Brito Silva (UFRPE / ICS-UL)
A Cruzada Anticomunista: a juventude católica e o nacionalismo radical no Estado Novo de Salazar
16h15 – Enrique Serra Padrós (UFRGS) (Via Skype)
A Igreja Católica e os Regimes Autoritários na América Latina
16h45 – Discussão
17h15 – Encerramento


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

“Plínio Salgado e o Patriarca da Independência”

Nesta semana se comemora nas principais capitais do país o dia da independência no Brasil, realizado em 1822 tendo a frente o então Imperador D. Pedro. Durante as festividades pouco se abordou sobre os principais personagens que participaram dos eventos que culminaram no famoso Grito do Ipiranga, momento este chave da política nacional.  Entre as principais figuras históricas se destaca o Patriarca da Independência José Bonifácio de Andrada e Silva, personagem hoje esquecido no Panthéon da Independência.

O então Deputado Federal Plínio Salgado, em 06 de setembro de 1970, na tentativa de decipar a nevoa de cinzas que cobria o momento histórico, publicara um artigo de sua autoria no Diário de São Paulo, no qual abordava a figura emblemática de José Bonifácio, ressaltando principalmente sua imagem de estadista e defensor da Pátria brasileira. Ainda hoje esta imagem é pouco trabalhada nas escolas e academias quando tratam sobre o fim do Império no Brasil. 

Esta não é a primeira vez que Salgado, através de artigos, resgata figuras da história brasileira, durante sua carreira como cronista publicou diversos artigos e livros dos mais variados temas, trazendo personagens e batalhas heróicas que ocorreram no Brasil antigo, porém poucos valorizados pelos próprios brasileiros e a historiografia em geral. 

Acima artigo publicado no Diário de São Paulo, em 06 de setembro de 1970, pelo então Deputado Federal, pelo ARENA-SP, Plínio Salgado, em sua coluna semanal.