segunda-feira, 28 de novembro de 2011

"Revista de História da Biblioteca Nacional debate mitos e verdades de Jânio e Jango"


Hoje venho divulgar aos leitores do blog Populista uma das ultimas oportunidades do ano para os interessados participarem do debate sobre Jânio Quadros e João Goulart, personagens estes que se entrelaçam na história do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965).
Segue abaixo texto sobre o evento que ocorrerá no dia 29 de novembro, terça-feira, às 16:00 horas, na Biblioteca Nacional, com a participação dos professores e historiadores Lucilia de Almeida Neves Delgado e Jorge Ferreira.
-----------
Um dos momentos mais críticos de nossa história contemporânea, o golpe de 1964 ainda guarda detalhes desconhecidos para a maior parte da população. Aspectos como a obscura renúncia de Jânio Quadros e o turbulento governo de João Goulart são pouco valorizados em estudos e pesquisas. Para trazer luz ao assunto, a Revista de História da Biblioteca Nacional (RHBN) realiza no próximo dia 29 de novembro, terça-feira, às 16h, debate do tema “Jânio e Jango: a renúncia, o golpe e os mitos”, com a participação dos professores e historiadores Lucilia de Almeida Neves Delgado e Jorge Ferreira, autor de recente e bem sucedida biografia de Jango, fruto de dez anos de pesquisa e que mostra uma face pouco conhecida do ex-presidente.

O evento integra a programação da série de debates Biblioteca Fazendo História, que acontece todo mês no auditório Machado de Assis da Biblioteca Nacional. A entrada é gratuita, sem necessidade de inscrição prévia. A presença no evento dá direito a certificado de participação, que pode ser utilizado por alunos e professores como horas de atividades complementares. O debate também pode ser acompanhado em tempo real pelo site www.institutoembratel.org.br e pelo twitter da revista (@rhbn).

Os palestrantes: Lucilia de Almeida Neves Delgado é professora da Universidade de Brasília (UnB) e coautora da coleção “O Brasil Republicano”. Na edição de novembro da RHBN publicou artigo Jânio Quadros e seu meteórico governo. Jorge Ferreira é professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e autor de “João Goulart: uma biografia”, livro fruto de dez anos de pesquisa e que mostra uma face pouco conhecida do ex-presidente.

O evento: Biblioteca Fazendo História é uma série de debates mensal realizada pela Revista de História da Biblioteca Nacional, cujo objetivo é discutir temas relevantes da História do Brasil abordados em cada edição da revista.

A revista: Lançada em 2005, a Revista de História da Biblioteca Nacional é a única em seu segmento editorial especializada em História do Brasil e traz a cada mês reportagens e artigos assinados por importantes historiadores e sociólogos. A publicação é mensal e distribuída em bancas de todo o país. Seu conselho editorial é formado por Alberto da Costa e Silva, Caio César Boschi, João José Reis, José Murilo de Carvalho, Laura de Mello e Souza, Lilia Schwarcz, Luciano Figueiredo, Marcos Sá Corrêa, Marieta de Moraes Ferreira, Ricardo Benzaquen e Ronaldo Vainfas.

Serviço: Biblioteca Fazendo História. Auditório Machado de Assis, Fundação Biblioteca Nacional (Rua México s/nº, Centro, Rio de Janeiro). Dia 29 de novembro, às 16h. Informações: (21) 2220-4300, ramal 215. Inscrições no próprio local. Entrada franca, com direito a certificado de participação.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Parte II: “Interpretando Plínio Salgado através das caricaturas”

Conforme prometido nas ultimas postagens trago aos leitores do blog Populista charge vinculada na revista semanal Manchete, publicada no dia 01 de Outubro de 1955, que traz em seu interior extensa reportagens sobre os candidatos à Presidente da República, no período descrito acima.

Diferente de outras charges publicadas no periódico, esta não associa o candidato do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), Plínio Salgado, ao Nazismo, ao contrario, a única associação que o desenho faz é com a doutrina Integralista, idealizada por Salgado, nos anos 30. Nota-se ainda que o artista Baiano Djalma Pires Ferreira além de enfatizar as afeiçoes do candidato, buscou de forma sutil ordenar personagens, tentando assim prever o desempenho nas urnas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"A Proclamação da República Brasileira, interpretada por Plínio Salgado"

Aproveito a véspera do feriado da Proclamação da República no Brasil para trazer aos leitores do blog Populista um artigo pouco conhecido de Plínio Salgado, publicado no Jornal Diário de São Paulo, no dia 10 de novembro de 1974. 

Este interessante trabalho busca em alguns parágrafos trazer os motivos pelos quais foi realizado o evento histórico, abordando fatos e personagens do período interpretados pelo autor do artigo, e importante ressaltar que este e um dos últimos, se não o último trabalho de Salgado, sobre a Proclamação da República Brasileira, portanto possui grande valor para os pesquisadores sobre a vida e a obra de Plínio Salgado.
Acima artigo publicado no Diário de São Paulo, em 10 de novembro de 1974, pelo então Deputado Federal, pela ARENA-SP, Plínio Salgado, em sua coluna semanal no jornal paulista.  

terça-feira, 8 de novembro de 2011

“Plínio Salgado, interpretado em concurso de desenho Populista”

Recentemente recebi por e-mail uma interessante ilustração, presente no acervo do Arquivo Publico de Rio Claro – SP,  da campanha presidencial de Plínio Salgado, em 1955. Infelizmente a autoria e data de criação deste cartaz, em tamanho A4, é incerta, porém provavelmente sua criação teve origem no concurso de ilustrações promovido pelo Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), durante a campanha presidencial, que possuía intenção de arregimentar toda a família Populista no pleito eleitoral.

Nota-se na imagem elementos da extinta Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937), mesclados com o da legenda Populista, o bordão “Este é o homem”, presente em inúmeras propagandas da campanha presidencial de Salgado, está inserido, com uma frase abaixo pouco utilizada pelo partido. É importante ressaltar a camisa-verde utilizada pelo candidato na imagem relembrando o fardamento Integralista, abandonado nos primórdios do PRP. Os leitores que tiverem maiores informações sobre esta imagem não deixem de entrar em contato para que assim possamos resgatar juntos a historia do Partido de Representação Popular.